sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Um louco que procurava Deus



Um louco que procurava Deus

Certo dia um Louco que procurava Deus, resolveu empenhar toda suas poupanças e energia, na procura de Deus. Foi então que se lembrou de fazer uma viagem, uma viagem que o levasse de encontro a Deus. O objectivo de o encontrar, faria com que a sua reputação aos olhos de todos os outros se distinguisse, seria galardoado, e homenageado, se de facto pudesse provar a existência e a veracidade de Deus.

Cheio de entusiasmo partiu em busca desse mesmo sonho. Por entre rios, vales e montanhas, caminhou sem descanso, mas em nenhum lugar encontrava Deus. De repente lembrou-se que as religiões, uma vez porta vozes de Deus, sabiam onde o encontrar, decidiu então em se juntar ás religiões, na tentativa que um mapa, ou a informação necessária lhe fosse dada a fim de encontrar Deus. Contudo todo este seu esforço o levara em vão, e como se não bastasse fora tomado como um Louco, pois a ideia de procurar Deus, era inconcebível, aos olhos dos ditos entendidos na religião. Deus jamais se revelaria a um mero Humano, seria necessário anos de prática espiritual e de devoção a Deus, para que ele pudesse se mostrar.

Continuou a sua viagem, desta insatisfeito por tudo o que tinha passado, infeliz e cansado na sua procura, resolveu desistir do seu sonho. Já de regresso a casa, chorou por não ter sido capaz de concretizar o seu sonho, e se envergonhou do sacrifício em vão que fizera.

Uma vez em casa, após uma refeição quente e saborosa, dirigiu-se ao alpendre e deitou-se na rede que em tempos o aconchegara.

Um silêncio se fez sentir, e durante a melodia de um grilo, adormeceu.
Foi então que começou a sonhar, para espanto seu, o sonho parecia extremamente real, tudo, incluindo o chão o aroma o vento a audição e o tacto pareciam de facto reais, ao ponto de se esquecer que estava a sonhar. Durante o seu sonho um menino lhe apareceu.
"Que fazes tu aqui?" perguntou ele ao menino.
"Porque perguntas?" respondeu o menino, rindo-se em seguida da sua pergunta.
Indignado com a pergunta do menino, ripostou.
"estou preocupado, pois és pequeno para andares sozinho na rua"
O menino riu-se novamente, e exclamou. "não te lembras?"
"Não me lembro do quê?" perguntou ele, curioso pela resposta.
"Estás a sonhar, e eu sou fruto do teu sonho"
O louco, não queria acreditar nas palavras que ouvira, mas de facto a resposta do menino de certa forma pareciam ser verdadeiras.
"como posso estar eu a sonhar, isso significaria que tudo á minha volta é fruto minha imaginação?"
"Sim, tudo é fruto da tua imaginação, incluindo eu"
Pausou e por um momento lembrara-se que de facto estava a sonhar, e que a vida lhe permitira ter esse sonho. De seguida o menino sussurrou-lhe ao ouvido. "Deus não se procura, Deus vive-se, ele vive através de ti, de mim, de nós, e de todos, e a única coisa que nos separa dele, é o sono profundo e colectivo onde todos sonhamos que estamos separados, quando na realidade somos um"
Nisto um grilo saltou para cima do Louco, acordando-o subitamente do sonho que estava a ter.

Ainda estupefacto com o sonho, lembrou-se do que o menino lhe dissera, e naquele instante contemplou tudo á sua volta como sendo sua própria criação. Sorrindo, e feliz por ter encontrado em tudo e em todos Deus, olhou para outro lado da estrada e contemplou o mesmo menino do sonho, agora desta correndo na relva atrás de uma borboleta, gritando.
"Mãe! mãe! olha é a Vida que está voando"

Finalmente a sua procura o trouxera ao inicio da sua curiosidade, a Vida é este momento Mágico, onde tudo acontece sempre pela primeira vez.

PAZ


1 comentário:

  1. Que lindo e encantador

    Um otimo final de semana

    bjs
    Andresa Araujo

    ResponderEliminar